X

CLIQUE E ENTRE JÁ
EM CONTATO CONOSCO!

(11) 4653-1122

vendas@

(11) 94266-3100

Publicações

Design Thinking em Fundição

Artigos

Design Thinking em Fundição

28/10/2021

Quando pensamos em fundição, normalmente nos vem à mente um local cheio de profissionais paramentados com inúmeros equipamentos de proteção individual, em ambiente rústico, com muito calor e sujeira. Provavelmente, nesse contexto, um conceito que nos foge é o de design. Saiba, no entanto, que todo processo de fundição tem início no design, que não é concebido por artistas plásticos, mas por departamento de engenharia especializada.

Quem se engaja na confecção de um novo produto a ser fundido precisa enxergar além de sua estética. Entender a aplicação e a interação que esse produto fará com seu usuário é fundamentalmente o foco na busca de uma solução criativa e eficiente (e até econômica). Confira, a seguir, o processo que nossa equipe de engenheiros na Machroterm segue e recomenda:

O primeiro passo é a compreensão: Precisamos entender a necessidade do projeto de forma geral. Isso inclui entender a aplicação e o resultado esperado desse produto.

O segundo passo é o dimensionamento: É essencial que o desenho do produto seja orientado por limitações, medidas e interações pré-estabelecidas.

A terceira fase é a ideação: Nessa etapa, é necessário divergir novamente e procurar soluções, não se preocupando se algumas das ideias pareçam muito soltas ou inviáveis. É importante que a todo momento se tome notas e registre o que se passa de forma que as boas ideias venham naturalmente no processo.

A quarta fase é a prototipação: Aqui, tem início o trabalho com softwares. A simulação é de extrema importância para validar as ideias que foram discutidas e as hipóteses que foram levantadas.

A etapa final é a validação: Com todas as etapas anteriores concluídas, agora é a hora dos testes e demonstrações funcionais sob condições de operação definidas e reais, sempre em conformidade com os requisitos do usuário final.

Vale ressaltar que o desenho de um produto nem sempre possui um ponto final, pois seu uso deve ser observado e reavaliado para constante evolução e otimização. Excelentes resultados e expertise tecnológica em aplicações específicas são alcançados através de tentativa e erro, alta capacitação técnica e experiência (além de uma parceria saudável e duradoura entre cliente e fornecedor).